sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

J.K. Rowling a "nossa" escritora residente do mês de fevereiro

JK Rowling


JK Rowling é a "nossa escritora" residente do mês de fevereiro. Foi há 20 anos que publicou o primeiro livro da saga Harry Potter! Livros que fizeram e fazem sonhar miúdos e graúdos!
És fã de Harry Potter? 


Na Biblioteca, encontrarás vários livros desta saga! Eles estão à tua espera... ávidos de um leitor interessado!
Para saberes mais, lê os textos seguintes...
Joanne Kathleen Rowling, que nasceu Joanne Rowling, ou seja, sem qualquer K. no meio (nascida em Chipping Sodbury, Gloucestershire, 31 de julho de 1965) é a escritora britânica, autora da famosa série de histórias de fantasia infantojuvenil sobre o jovem feiticeiro Harry Potter.
Tendo crescido e estudado no Reino Unido mudou-se para Portugal em 1991, após a morte da mãe, tendo vivido, até 1995, na cidade do Porto, onde ensinou inglês. Esteve casada com o jornalista português Jorge Arantes, que é pai da sua filha Jessica Rowling Arantes, nascida em 1993.
Aquando da publicação dos livros, a sua editora - Bloomsbury - sugeriu a Joanne que usasse iniciais na capa dos livros de Harry Potter, pensando que alguns rapazes poderiam ter preconceitos em comprar um livro escrito por uma mulher. Devido às convenções da altura, a autora optou, então, por usar a sigla J. K., pela qual é hoje conhecida. O “K” vem de Kathleen, nome da sua avó favorita.
Em fevereiro de 2004, Rowling estava listada pela revista Forbes como detentora de uma fortuna de 576 milhões de libras esterlinas.
Rowling nunca foi fã de Tolkien, autor do épico Senhor dos Anéis, dizendo que o leu no colégio, na adolescência e não achou muita graça.
(Texto adaptado)
https://www.portaldaliteratura.com/autores.php?autor=388



13 MITOS JK ROWLING E SAGA HARRY POTTER
Há quem acredite que a saga da J. K. Rowling está para uma geração como a Guerra dos Tronos está para outra. Há quem vá mais longe e afirme que o Harry Potter está para uns como o Star Wars está para outros. Há histórias, personagens, amores literários que se tornam autênticos marcos temporais de uma geração. Mas no meio de tanto rebuliço, há alguns mitos sobre a série que tem lugar em Hogwarts que merecem ser descortinados. Nós aceitamos o desafio!
J. K. NASCEU JOANNE ROWLING
Sem qualquer K. no meio. Mas, na altura de publicar o primeiro livro da saga Harry Potter, em 1997, o editor achou que Joanne, um nome claramente feminino, poderia afastar o público-alvo da obra: rapazes. Devido às convenções da altura, a autora optou por usar a sigla J. K., pelo qual é hoje conhecida. O “K” vem de Kathleen, a sua avó.
HARRY POTTER FOI ESCRITO EM PORTUGAL
Não foi em Portugal que surgiu pela primeira vez a imagem deste jovem órfão que descobre que é feiticeiro e vai estudar para uma escola de magia que se chama Hogwarts. Consta que a ideia surgiu na mente de J. K. Rowling em 1990, enquanto viajava de comboio entre Manchester e Londres. No entanto, pouco tempo depois, a autora mudou-se para Portugal para ensinar inglês na Encounter English, no Porto, e deu seguimento à história do rapaz que sobreviveu, Harry. Em 1993, quando regressou ao Reino Unido, a escritora levava já na mala os três primeiros capítulos de Harry Potter e a Pedra Filosofal, o primeiro volume da saga que apaixonou milhares.

J. K. ROWLING GOSTA DO SWING
Quando veio trabalhar para Portugal, a autora ficou, num primeiro momento, a viver num apartamento reservado aos novos professores da Encounter English. Foi aí que conheceu as novas companheiras de casa, a irlandesa Aine Kiely e a inglesa Jill Prewett. Estes nomes dizem-lhe algo? Na primeira página de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, o terceiro livro da saga, pode ler-se: “Para Jill Prewett e Aine Kiely, as avós do Swing”.
MAS O QUE É O SWING?
O Swing era uma antiga discoteca junto à rotunda da Boavista, no Porto, frequentado por Joanne e pelas suas colegas de casa. Consta que o Meia Cave, na Ribeira, era outro dos bares que as três costumavam frequentar.
CASADA COM UM PORTUGUÊS
É verdade! J. K. Rowling esteve casada com Jorge Arantes, um jornalista português. Apesar de o casamento não ter funcionado, e de o casal se ter divorciado pouco tempo depois, a escritora admite que essa união lhe deu o melhor da vida: a sua filha Jessica.
EXPECTO PATRONUM EXISTE MESMO E RECOMENDA-SE!
J. K. Rowling é muito ativa no Twitter, frequentemente interage com os fãs, e por lá acontecem histórias que mais parecem saídas dos livros de fantasia da autora. Há uma de que gostamos especialmente. Depois de ter sido contactada via twitter por uma fã com depressão que lhe dizia querer tatuar a expressão "expecto patronum" na pele para afastar os pensamentos maus que lhe surgiam, a autora de Harry Potter prontamente enviou o feitiço "expecto patronum" escrito à mão, desejando à sua leitora uma vida longa e feliz.
Expecto Patronum" escrito com a caligrafia da autora.


SALAZAR, O DITADOR?
Foi também no Twitter que a autora confirmou ter-se inspirado no ditador português para batizar o mais impiedoso dos quatro fundadores de Hogwarts: Salazar Slytherin.
HARRY POTTER ERA RICO
A par do Twitter, J. K. Rowling também alimenta o site Pottermore.com com curiosidades, quizes e várias revelações que continuam a preencher o imaginário dos potterheads (os fãs da saga). Por exemplo, sabia que um dos antepassados de Harry Potter produziu várias poções médicas, o que gerou grande fortuna para a família? Pois é, o Harry Potter é rico!
HOGWARTS É GRÁTIS
Só boas notícias! Estudar em Hogwarts, afinal, é grátis! Os estudos mágicos são pagos pelo Ministério da Magia. Por isso, se entretanto receberem a carta de admissão em Hogwarts, não se preocupem com as despesas.
J. K. ROWLING VIVEU NA POBREZA
No discurso, feito para os finalistas de 2008, em Harvard, J. K. Rowling admite ter falhado de forma épica sete anos após ter-se licenciado: “um casamento excecionalmente breve tinha implodido, estava sem emprego", diz a escritora, "era mãe solteira e era tão pobre quanto é possível ser pobre na moderna Grã-Bretanha, sem ser uma sem-abrigo." Hoje a autora é uma das escritoras mais ricas do mundo!
A AUTORA E HARRY POTTER FAZEM ANOS NO MESMO DIA
31 de julho marca o aniversário de J. K. Rowling e também o da sua personagem mais famosa, Harry Potter.
A AUTORA TRABALHOU NA AMNISTIA INTERNACIONAL
E foi aí que, usando as suas próprias palavras, percebeu que "não precisamos de magia para transformar o mundo. Todos nós possuímos em nós próprios todo o poder de que necessitamos: temos o poder de imaginar melhor".

UMA MORTE SÚBITA NO GRANDE ECRÃ
Depois de ter concluído a saga Harry Potter, J. K. Rowling publicou em 2012 o seu primeiro romance para adultos, Uma Morte Súbita, adaptado para televisão pela BBC.
CLARO QUE HÁ MUITAS OUTROS MITOS QUE FICAM POR DESCORTINAR!
Será que o Dumbledore é a Morte no conto dos irmãos Peverell?
Será que o bisneto de Harry Potter também será colocado na equipa dos Gryffindor, à semelhança do seu filho James Potter?
Será que o Snape é a personagem favorita da autora?
Fica a dúvida!
Sabemos, no entanto, que J. K. Rowling vive atualmente em Edimburgo com o marido e os filhos, apoia diversas causas de solidariedade social e é fundadora da Lumos, uma organização que ajuda crianças desfavorecidas.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Projeto "Biblioteca Sobre Rodas - Livros a descobrir nos JI" em ação!


Os baús do projeto “Biblioteca Sobre Rodas – Livros a descobrir nos JI” já se encontram nas primeiras estações: Porto Carro, Maceirinha, Pocariça e Cavalinhos, onde permanecerão durante algumas semanas, para rumarem, em seguida, a novas paragens!
Como é habitual, a entrega de cada baú foi acompanhada de uma sessão de animação da leitura… O livro escolhido foi Amélia quer um cão, de Tim Bowley.

- Gostam de brincar ao "Faz de conta"?
- Siiimmm!!!
- Então, vamos fazer de conta que eu sou a mãe e que a professora Doroteia é a minha filha Amélia.
Começou mais ou menos assim a nossa dramatização, que contou com a preciosa e animada ajuda das crianças.
Há quem consiga vencer pela persistência… A “Amélia”, que queria um cão, conseguiu o que pretendia! 

Muito obrigada às crianças, educadoras e assistentes operacionais pela forma calorosa com que nos receberam. Ficamos à espera dos vossos desenhos!
Prof.ª Helena Silva 

JI de Porto Carro










JI de Maceirinha









JI de Pocariça


















JI de Cavalinhos











Fundo documental da Biblioteca de Maceira mais "rico", graças a ofertas generosas de membros da Comunidade


A Biblioteca permite o acesso democrático a toda a informação, oferece oportunidades de aprendizagem, garante a informação ao cidadão e o acesso a equipamentos e sistemas informáticos, impulsionando a implementação daquela a que hoje chamamos a Sociedade de Informação
A revitalização e atualização do fundo documental da Biblioteca Municipal de Maceira/ Biblioteca da Escola Básica de Maceira é fundamental para servir os utentes e a comunidade local com qualidade.
Resultado da junção do fundo da “velhinha” Escolas Básicas n1 de Maceira, do Arnal, da Pocariça e de A-do-Barbas, a Biblioteca conta com mais de 3 000 títulos, grande parte dos quais oferecidos pelos professores do Agrupamento de Escolas de Maceira e pelos habitantes da freguesia, a quem agradecemos de todo o coração e em nome daqueles para quem os livros são tão importantes como respirar.
Uma das famílias mais empenhadas em enriquecer o nosso fundo documental é a família Rodrigues, de quem o Sr. Borges é o nobre representante. Para os membros desta família, a cultura ocupa um espaço primordial e a leitura é um dos prazeres do dia a dia. Tanto que decidiram partilhar o seu espólio com a comunidade maceirense e ofereceram à Biblioteca parte dos livros que compunham a sua biblioteca pessoal.
Retribuindo a oferta de forma simbólica, o Sr. Vítor Santos ofereceu ao Sr. Borges e família o ex-libris literário da comunidade: “Maceira – 500 anos”.
Nesta cerimónia informal e familiar, que decorreu no passado dia 16 de dezembro, o Sr. Vítor Santos, presidente da Junta de Freguesia de Maceira, homenageou, através do Sr. Borges, toda a família Rodrigues. O Sr. Vítor Santos agradeceu a oferta feita e salientou a importância da Biblioteca enquanto repositório da memória local e espaço de projeção do futuro, perfeitamente apta a responder às exigências da Sociedade de Informação e centrando o foco na construção e valorização da identidade cultural maceirense, uma herança a perpetuar. 


Aproveitamos a ocasião para agradecer também à família Aguiar que, no dia 12 de janeiro, ofereceu cerca de 80 livros infantis (novinhos!), que farão as delícias dos mais pequenitos.


Prof.ª Diana Oliveira